Pular para o conteúdo

O que damos aos animais recebemos a dobrar

O que damos aos nossos animais recebemos a dobrar

Ter um animal de estimação obriga a alterar rotinas e fazer opções, mas o que se recebe de volta é imenso.

Há um antes e um depois na vida de quem tem animais de estimação. Permitir a entrada destes amigos de quatro patas numa casa é dar início a uma longa história de amor, carinho e dedicação. Mas também, invariavelmente, de sacrifícios e escolhas, algumas bem difíceis. Isto porque ter animais implica dedicar-lhes tempo, espaço e até parte do orçamento. Apesar disso, o resultado é invariavelmente o mesmo: o estabelecimento de laços muito fortes. A ligação assume contornos tão importantes ao ponto de os animais serem considerados, sem qualquer hesitação, elementos da família.


Sacrifícios compensados

Teresa Mendes é dona de três gatos e não prescinde da sua companhia por nada deste mundo. “Não vejo a minha vida sem a companhia deles”, afirma, mesmo admitindo que “ter animais implica, nalguns casos, muitos sacríficos”. Considera que aquilo que os seus gatos lhe dão diariamente supera em muito a gestão que é necessária: “Chegar a casa e ser recebida por aqueles olhos cheios de amor e ansiosos por um mimo ou as risadas que o Simba me faz dar com as suas traquinices não tem preço”, reconhece.

Na sua situação específica, todas as deslocações têm de ser ponderadas e planificadas ao pormenor, porque dois dos seus gatos têm insuficiência renal e problemas gastrintestinais, pelo que têm de ser medicados todos os dias e receber soro intravenoso. Ir de férias torna-se complicado, pois “embora já existam muitas pessoas a fazer pet sitting, é difícil encontrar alguém que não tenha medo de agulhas e possa administrar o soro; além disso, tudo custa dinheiro”, sublinha a escriturária. Mas nada disto é suficiente para se arrepender: “Os animais têm uma capacidade de entrega e amor incondicional que é uma lição para muitos humanos.”

Também Gonçalo Português, que adoptou a golden retriever Goma logo depois do nascimento desta, há dois anos, concorda com a necessidade de “alguns sacrifícios”, mas desvaloriza a situação, considerando que ter um animal “sem dúvida que compensa”. Segundo o fotógrafo, “o dia-a-dia tem de ser pensado para ir ao encontro das necessidades da Goma. Ter um cão num apartamento implica várias idas à rua por dia, não só para as necessidades básicas mas também para que possa correr e brincar. Além disso, as férias passaram também a ser o mais dogfriendly possível”. Porém, nas suas palavras, tudo isso é facilmente ultrapassado: “A Goma é muito divertida, amiga e companheira. Com o passar do tempo cria-se uma ligação que nunca pensei ser possível. Há uma comunicação e uma intimidade muito especiais.”

Quem também criou uma ligação muito especial com o seu animal de estimação foi Nuno Silva Costa, que acolheu a gata Índia há ano e meio, depois de a encontrar abandonada. Desde essa altura que a felina integrou a vida deste professor que não encara como sacrifício nada daquilo que faz em prol do animal. “Sinto que cuido dela e em troca recebo companhia e muito carinho. Já faz parte do meu quotidiano e quando estou longe dela tenho saudades”, diz, lamentando apenas, com humor, que a gata o acorde “tantas vezes a meio da noite a pedir mimo”.

“Mais leve e feliz” é como a designer Teresa Cohen se sente desde que tomou a decisão de incluir dois cães na sua vida. “Elevou o meu bem-estar e a minha disposição para brincar e cuidar”, aponta, apesar das alterações que teve de introduzir na sua rotina, já que se trata de “mais dois membros da família com necessidades específicas e totalmente dependentes”. Assim, “os horários dos passeios, faça chuva ou faça sol, são obrigatórios, o que implica fazer opções, rever prioridades e horários”. Apesar disso, afirma taxativamente que “jamais” se arrependeu de ter consigo os seus fiéis amigos.


Protegê-los sempre

O retorno emocional e a companhia que os animais de estimação permitem são factores mais do que suficientes para convencer qualquer pessoa a tornar-se dona de um animal de estimação. Porém, o aspecto financeiro é muitas vezes ponderado, já que ter um amigo de quatro patas bem cuidado implica algumas despesas. A pensar nisso, a MAPFRE Seguros disponibiliza o seguro NET ANIMAIS DOMÉSTICOS que se destaca por permitir uma poupança até 50% no valor das consultas no veterinário, bem como descontos de pelo menos 30% em vacinas e serviços de desparasitação e esterilização numa vasta rede de prestadores. Além disso, permite também reduções em vários serviços destinados a facilitar o dia-a-dia dos donos, nomeadamente, estadias em hotel, pet sitting, dog walking, tosquias, grooming, alimentação ou transporte.

Inclui ainda coberturas de Responsabilidade Civil e Protecção Jurídica, oferecendo toda a protecção necessária no caso de o cão ou gato provocarem estragos materiais ou físicos a outras pessoas (terceiros). Para facilitar, o seguro NET ANIMAIS DOMÉSTICOS pode ser rapidamente contratado online, estando também acessível por telefone ou através da rede nacional de mediadores MAPFRE. Logo depois da contratação é possível começar a usufruir das vantagens exclusivas preparadas para facilitar a vida de quem não prescinde do amor e companhia dos amigos de quatro patas.

Volta ao Topo