Pular para o conteúdo

A maçã podre…

A maçã podre…

… estraga a companheira, lá diz o ditado.

Por isso, atendendo aos recentes alertas sobre a dispersão de bactérias nos alimentos, conheça os quatro princípios básicos de tratamento de alimentos. 

Conhecer os sintomas

Os sintomas típicos de doenças associadas à alimentação são: dores de estômago, vómitos e diarreia que, normalmente, se manifestam alguns dias após o consumo de alimentos ou bebidas contaminadas. Ainda que os sintomas não sejam duradouros para a maioria das pessoas, foram identificados os seguintes grupos de risco.

  • adultos com problemas de saúde;
  • bebés e crianças;
  • mulheres grávidas.
  • portadores de HIV/SIDA, pacientes de cancro ou em qualquer outra condição que enfraqueça o sistema imunitário.

1. Limpar

A primeira regra da preparação segura de alimentos é a higiene. Assim:

  • lave as mãos com água quente e sabão durante 20 segundos, antes de manusear os alimentos. Para crianças, uma forma fácil de cronometrar é cantar duas vezes o “Parabéns a você”;
  • lave as superfícies que estarão em contacto com os alimentos (tábuas, pratos, utensílios e bancadas de cozinha) antes e depois da preparação dos alimentos;
  • passe com água a correr as frutas e legumes, escovando-os para remover a sujidade supercifial;
  • não passe por água a carne ou aves antes de as cozinhar. Lavar estes alimentos aumenta a probabilidade das bactérias se propagarem nas áreas circundantes do lava-louças e da bancada da cozinha.

2. Separar

Não dê oportunidade às bactérias de se propagarem de uns alimentos para os outros (contaminação cruzada):

  • mantenha a carne crua, aves e marisco e respetivos líquidos longe do contacto com outros alimentos, quer enquanto esteja a fazer as compras, quer em casa antes de os cozinhar;
  • preocupe-se em utilizar tábuas de cozinha distintas: uma para as carnes, aves e marisco, e outra para as frutas e legumes;
  • não coloque carne cozinhada no prato onde guardou a carne crua, sem o lavar cuidadosamente.  

3. Cozinhar

Os alimentos são cozinhados de forma segura, sempre que alcancem uma temperatura interna elevada o suficiente para matar as bactérias danosas existentes. Por isso tenha em atenção o seguinte:

  • a cor, por si só, não é o melhor indicador para atestar que os alimentos estão devidamente cozinhados;
  • certifique-se que os “sumos”/líquidos de galinha, peru e carne picada estão limpos;
  • utilize um termómetro de cozinha para se assegurar que a carne, aves e o peixe estão cozinhados a uma temperatura interna segura;
  • ao reaquecer molhos e sopas, ferva-os. 

4. Arrefecer

Refrigere os alimentos rapidamente, pois as bactérias danosas crescem facilmente à temperatura ambiente:

  • coloque os alimentos ou comida feita no frigorífico, no máximo até duas horas após aquisição;
  • regule o seu frigorífico para uma temperatura igual ou inferior a 5ºC.;
  • não descongele alimentos à temperatura ambiente. Estes poderão descongelar, com segurança, no frigorífico ou no micro-ondas, sendo que neste último deverá cozinhar os alimentos de imediato;
  • certifique-se de que os alimentos descongelaram apropriadamente. Por exemplo, um peru necessita de dois a três dias no frigorífico, para descongelar. Se não descongelar corretamente, a parte externa do peru cozinhará mais rapidamente que o seu interior, não alcançando a temperatura apropriada para matar as bactérias.


Fonte: "Food safety tips for healthy holidays", in Food Safety [em linha], 2009, http://www.foodsafety.asn.au/factsheets/foodsafetytipsforhea4517.cfm [consultado em 02.06.2011]

Volta ao Topo